UNITA - ANGOLA
Fonte :
UNITAANGOLA
Declara√ß√£o alusiva aos 57¬ļ anivers√°rio da funda√ß√£o da Uni√£o Nacional Para a Independ√™ncia Total de Angola
Fundadores do Governo dos Angolanos 13 de Março de 1966 a 13 de Março de 2023 UNITA FNLA e Outros.jpg
‚ÄúTodo o empreendimento humano precisa de uma orienta√ß√£o e de uma direc√ß√£o. Os homens n√£o se autodirigem. Os homens t√™m de ser dirigidos‚ÄĚ. Dr. Jonas Malheiro Savimbi

Sob o lema ‚ÄúUNITA ‚Äď 57 ANOS POR UMA ANGOLA INDEPENDENTE, DEMOCR√ĀTICA E DESENVOLVIDA‚ÄĚ, comemora-se o 57¬ļ anivers√°rio da funda√ß√£o da Uni√£o Nacional para a Independ√™ncia Total de Angola.

A necessidade da cria√ß√£o da UNITA nasceu da iniciativa de um grupo de patriotas que por for√ßa das circunst√Ęncias reuniram-se em Brazaville, em Dezembro de 1964, tendo tornado p√ļblico um manifesto nos seguintes termos:

“- animados pela vontade inabalável de combater até ao fim o colonialismo português;
- Conscientes da fase difícil que atravessa o nacionalismo angolano;
- Conscientes do facto de que o colonialismo português não largará a pátria angolana sem uma luta político-militar consequente;
- Conscientes também da solidariedade de todos os povos do mundo;
- Decididos a cooperar sinceramente com todas as forma√ß√Ķes pol√≠tico-militares dos patriotas angolanos tanto no interior como no exterior do pa√≠s, juramos:
1. combater o colonialismo de maneira consequente;
2. encorajar e colaborar activamente em todas as iniciativas tendentes a reagrupar a totalidade das for√ßas vivas angolanas numa √ļnica frente de combate;
3. prestar uma grande atenção à mobilização das massas angolanas;
4. combater o imperialismo sob todos os seus aspectos em todas as frentes;
5. preparar todo o pa√≠s para uma luta que pode durar muito tempo, forjando assim um esp√≠rito permanente de luta‚ÄĚ; fim de cita√ß√£o.
Deste ideal sintetizado, nasceram os três princípios fundantes que nortearam a filosofia de luta da UNITA:
1. Manter a Direcção do Movimento no Interior do país, em contato com as largas massas de soldados e do povo;
2. Unir todo povo angolano na luta contra o colonialismo português e contra outras formas de dominação, e
3. Contar essencialmente com as nossas próprias forças.
Da conjugação destes princípios com os valores: Patriotismo, Democracia, Respeito pelos direitos humanos, Liberdade, Justiça Social, Solidariedade, Integridade, Dignidade e Subordinação da política à ética, como sustentáculos filosófico-programáticos nasceu o Projecto do Muangai que se articula como segue;
- Liberdade e independência total para os homens e para a pátria-mãe;
- Democracia assegurada pelo voto do povo através dos vários Partidos Políticos;
- Soberania expressa e impregnada na vontade do povo, de ter amigos e aliados, primando sempre os interesses dos angolanos;
- Igualdade de todos os angolanos na p√°tria do seu nascimento;
- Na busca de solu√ß√Ķes econ√≥micas, priorizar o campo para beneficiar a cidade;
Por ocasião do 13 de Março de 2023, o Secretariado Executivo do Comité Permanente da Comissão Política da UNITA rende homenagem ao seu líder fundador Dr. Jonas Malheiro Savimbi e a todos os filhos de Angola, que nas diferentes frentes de combate, verteram o seu suor e sangue para a liberdade, independência e democracia em Angola.

A UNITA orgulha-se da sua rica hist√≥ria de 57 anos, sobretudo pelo seu contributo de qualidade nas grandes viragens da Hist√≥ria de Angola,nas √ļltimas cinco d√©cadas.
Sob a sábia, clarividente e corajosa liderança do Dr. Jonas Malheiro Savimbi, introduziu um novo conceito de luta que melhor se ajustava à realidade humana, cultural, económica e política de Angola.

Irredut√≠vel nos seus princ√≠pios e mesmo confrontada com a hostilidade fratricida do MPLA e da FNLA, a UNITA foi a √ļnica for√ßa nacionalista angolana cuja a Direc√ß√£ao se encontrava no interior de Angola, quando ocorreu em Portugal, o golpe de Estado de 25 de Abril de 1974.
Antecipando-se ao cenário de mudanças no xadrez político português, a UNITA foi a primeira a assinar o cessar-fogo com as forças portuguesas em Angola, tendo a FNLA e o MPLA lhe seguido o exemplo mais tarde.

A UNITA liderou, na pessoa do Dr. Savimbi. a iniciativa de unidade entre os três movimentos, através dos acordos bilaterais celebrados entre eles em Kinshasa, Vila Luso e Mombassaa, onde os mesmos viriam a assinara o acordo tripartido de Mombassa, no Kenya, em janeiro de 1975, sob os auspícios do veterano Jomo Kenyatta. Foi este acordo que serviu de base negocial do Acordo do Alvor com as autoridades coloniais portuguesas ainda em Janeiro de 1975.

Perante a iminência da guerra civil que se vislumbrava coube, mais uma vez, ao Dr. Savimbi e a UNITA o papel apaziguador para salvar o Acordo do Alvor, através doutro acordo tripartido assinado em Nakuru, ainda no Kenya em Junho de 1975 afim de preservar a paz.

O Dr. Jonas Malheiro Savimbi ficou conhecido como MWATA da Paz pelo seu esforço político-diplomático, junto do povo angolano, das lideranças africanas e da OUA, em prol da paz em Angola.

Saída de Luanda, em Agosto de 1975, na sequência da intervenção de forças estrangeiras em Angola, aliadas do MPLA, a UNITA liderou a resistência popular generalizada para a conquista da liberdade e democracia, que culminou com a assinatura dos Acordos de Paz de Bicesse, pelo Eng. José Eduardo dos Santos e pelo Dr. Jonas Malheiro Savimbi, a 31 de Maio de 1991.

Ao abrigo dos Acordos de Bicesse, Angola passou, formalmente, para um Estado Democrático de Direito, com o sistema político multipartidário, de Economia de Mercado , com as forças armadas e policiais supostas republicanas e apartidárias.

Depois dos acontecimentos de 1992 na sequ√™ncia das elei√ß√Ķes, a UNITA resistiu at√© criar as condi√ß√Ķes de uma longa negocia√ß√£o que culminou na assinatura do Protocolo de Lusaka em novembro 1994. Destaca-se deste Protocolo o governo de unidade e reconcilia√ß√£o nacional (GURN). Este exerc√≠cio provou que √© poss√≠vel aos angolanos trabalharem juntos se vontade politica e patri√≥tica os habitar.

Em 2002 a heroica morte do Presidente Fundador constituiu a pior crise da trajectória da UNITA.

Todavia o maior capital que a lideran√ßa do Dr.Savimbi legou aos angolanos isto √©, o Projecto de Sociedade , os dirigentes e quadros de diferentes matizes e escal√Ķes permitiu a sobreviv√™ncia da UNITA e o seu crescimento exponencial, interna e externamente. Este facto demonstra a perene vitalidade e a adaptabilidade, aos tempos, dos princ√≠pios fundantes da UNITA e confere-lhe toda legitimidade e a responsabilidade de, na unidade com todos, levar o pa√≠s √† primeira, urgente e inadi√°vel altern√Ęncia do poder pol√≠tico e abrir, para Angola, um horizonte de felicidade material e espiritual.

O Secretariado Executivo do Comit√© Permanente da Comiss√£o Pol√≠tica da UNITA, reafirma a sua firme vontade pol√≠tica de trabalhar com todas as for√ßas vivas de Angola para, na conjuga√ß√£o de esfor√ßos, exigir a institucionaliza√ß√£o das Autarquias Locais, uma realidade negada aos angolanos ao longos dos 47 anos de independ√™ncia, o que faz de Angola o √ļnico pa√≠s sem poder local, na regi√£o austral do continente africano. A pretensa nova divis√£o politica e administrativa deve ser repudiada redondamente.

O Secretariado Executivo do Comit√© Permanente da Comiss√£o Pol√≠tica da UNITA expressa a sua indefect√≠vel solidariedade com as diferentes classes profissionais que reivindicam pela melhoria das suas condi√ß√Ķes laborais, salariais e de vida e exorta o Executivo angolano a n√£o transformar em inimigo jurado quem contesta as suas pol√≠ticas.

O Secretariado Executivo do Comit√© Permanente da Comiss√£o Pol√≠tica da UNITA apela ao povo angolano a encarar com seriedade e repulsa os mais recentes esc√Ęndalos e crise no poder judici√°rio que causou a demiss√£o da Presidente do Tribunal de Contas e coloca em apuros s√©rios o Presidente do Tribunal Supremo.

De crise moral no poder judicial passou-se para uma crise institucional quando a Presid√™ncia da Rep√ļblica, de forma intempestiva, interferiu no poder judicial afectando o normal funcionamento das institui√ß√Ķes do Estado Democr√°tico de Direito de que Angola se reclama, ferindo a CRA que estabelece de forma clara a separa√ß√£o dos tr√™s poderes.

O Secretariado Executivo do Comit√© Permanente da Comiss√£o Pol√≠tica da UNITA exorta os seus membros ao redobrar de esfor√ßos de mobiliza√ß√£o dos eleitores para a altern√Ęncia pol√≠tica em 2027, come√ßando pelo desafio da implementa√ß√£o das autarquias locais, em todos os munic√≠pios do pa√≠s, no decurso de 2023, pois elas s√£o, at√© prova contr√°ria, a via certa do desenvolvimento das comunidades.

O Secretariado Executivo do Comité Permanente da Comissão Política da UNITA reconhece , a seu justo valor, o papel desempenhado pelo Ex-SG da UNITA, Lukamba Paulo Gato, enquanto Coordenador da Comissão de Gestão de Fevereiro de 2002 a Junho de 2003, pela coragem, realismo , firmeza flexível e consensual com que liderou o processo negocial que culminou na assinatura do Memorando de Entendimento Complementar do Luena aos 4 de Abril de 2002. Doutro lado enaltece a forma sábia como dirigiu a unificação interna do Partido cujo epílogo foi o histórico bem sucedido IX Congresso Ordinário realizado em Luanda em Junho de 2003.

O Secretariado Executivo do Comit√© Permanente da Comiss√£o Pol√≠tica da UNITA dirige o seus profundos agradecimento e apre√ßo ao mais velho Presidente, Isa√≠as Samacuva pela maneira como soube manter a UNITA muito din√Ęmica no xadrez politico e tranquila, perante as provoca√ß√Ķes do regime durante 16 anos de sua lideran√ßa, em nome da consolida√ß√£o da paz e do aprofundamento do sistema democr√°tico.

O Secretariado Executivo do Comit√© Permanente da Comiss√£o Pol√≠tica da UNITA, em nome de todos os membros, simpatizantes , amigos, eleitores e o povo em geral felicita, efusivamente, o Presidente da UNITA e L√≠der da FPU, Eng. Adalberto Costa J√ļnior pelo in√©dito resultado eleitoral nas elei√ß√Ķes gerais de 24/08/2022, embora n√£o reflita a verdadeira vontade dos eleitores expressa nas urnas.

O Secretariado Executivo do Comit√© Permanente da Comiss√£o Pol√≠tica da UNITA encoraja o presidente Adalberto Costa J√ļnior a prosseguir firme na sua vis√£o de unidade das for√ßas vivas da sociedade e da respectiva estrat√©gia tendo na mira, hoje mais do que nunca, a necess√°ria altern√Ęncia do poder, no nossso Pa√¨s, ANGOLA.

VIVA ANGOLA
VIVA A UNITA
ViVA O 13 DE MARÇO
Viva para sempre a memória heróica do Dr Jonas Malheiro Savimbi
Unidos Venceremos!
Luanda, 13 de Março de 2023.

O Secretariado Executivo do Comité Permanente da Comissão Política da UNITA
www.unitaangola.org
C:\Mes Sites\Unitaangola29122013\UNITAANGO_WEB\coqUNITA.jpg
 Publicidade
Obra de Isaías Samakuva
Ex-Presidente da UNITA (2003-2019)
Todos os direitos reservados
Secretariado da comunicac√£o e Marketing da UNITA
União Nacional para Indepedência Total de Angola
¬©  Copyright 2002-2020
Segunda-feira, 17 de Junho de 2024